Mulher de ex-deputado federal é indiciada por matar criança atropelada e não prestar socorro em MT

Pai, madrasta e criança retornavam de comemoração do Dia dos Pais quando foram atingidos pela caminhonete dela. A defesa dela disse que não vai se manifestar porque não teve acesso aos documentos do indiciamento.

A mulher do ex-deputado federal Adilton Sachetti (PRB-MT), Lidiane Campos, suspeita de ter atropelado e matado uma criança, de 3 anos, em agosto de 2019 em Rondonópolis, a 218 km de Cuiabá, foi indiciada pela Polícia Civil de Mato Grosso.

O inquérito foi concluído há 15 dias e divulgado nesta terça-feira (14).

Lidiane dirigia uma caminhonete que atingiu uma motocicleta por um casal e a criança. Ela fugiu sem prestar socorro.

A defesa dela disse que, por enquanto, não vai se manifestar já que não teve acesso aos documentos do indiciamento.

Estavam na moto Dayane Palmeiras dos Santos, de 35 anos, o marido dela, Marcos Souza da Costa, de 30 anos, e Daniel Augusto Costa, de 3 anos, filho de Marcos e enteado de Dayane.

Eles retornavam de uma comemoração do Dia dos Pais.

Em nota, a assessoria da Polícia Civil informou que o inquérito policial sobre o acidente que causou a morte da foi concluído pela delegada Ludmila Vendramel.

De acordo com a Polícia Civil, Lidiane foi indiciada por homicídio culposo (quando não há intenção de matar) na direção de veículo e por omissão de socorro. Nas investigações não foi possível comprovar a embriaguez.

O inquérito foi encaminhado ao Poder Judiciário em Rondonópolis.

À época, Lidiane afirmou, por meio de advogado, que deixou o local do acidente por medo de ser agredida.

G1.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *