Anitta é diagnosticada com trombose e tem alta: saiba o que é a doença e como prevenir

Anitta deu um susto nos fãs ao ser internada na última quinta-feira, dia 25. A cantora revelou que foi diagnosticada com trombose nas pernas. Liberada do hospital, o tratamento continua em casa. Mas a doença deixa sequelas?

— A trombose é um coágulo dentro de uma veia. É um sangue que se solidificou. As razões para acontecer são variadas, mas pode ser por histórico familiar, uso de hormônios, obesidade, cigarro, sedentarismo… O mais comum é ocorrer a doença abaixo do joelho, que pega uma veia que não é das mais importantes para a drenagem do sangue. As chances de sequela são menores. Quando se pega uma veia que fica entre o joelho e a virilha, as pessoas tendem a ter mais edemas. Mas o nosso próprio sistema já dissolve o coágulo e a pessoa volta a ter uma circulação normal. Não dá para dizer sem analisar o caso da Anitta, mas sabemos que uma cantora como ela, que tem pique de atleta, é jovem, foi diagnosticada cedo, não tem que pensar que a doença deixará marcas — analisa o médico Leonardo Stambowsky, cirurgião vascular e membro titular da Sociedade brasileira de angiologia e cirurgia vascular.

Antes de receber alta, a funkeira, que lançou uma música com MC Zaac e Tyga, já avisou que sairia do hospital para dançar nos stories, fazer lives e falar sobre música. Por mais que Anitta estivesse bem mais tranquila na quarentena, difícil imaginar que ela estava completamente sedentária.

— Exatamente. Tive pacientes que tiveram trombose nessa quarentena, mas eram pessoas mais idosas e que, antes, faziam um exercício ou outro e, agora, pararam com tudo. Difícil pensar que esse foi o caso de Anitta. E, a partir disso, podemos pensar em formas de prevenir a doença. Do ponto de vista vascular, é preciso evitar o sangue de ficar parado por muito tempo. Quem está muito sentado, levante-se, estique as pernas de duas a três vezes ao dia. Há o caso de usar meias elásticas… E também é importante repensar hábitos, como evitar cigarro, obesidade, não deixar de fazer atividades físicas, aqueles fatores gerais de saúde — diz o médico.

E quem tem a doença, pode seguir com a vida normalmente. O tratamento hoje em dia é bem simples.

— O tratamento mais comum é com medicamentos anticoagulantes. Como a cantora é jovem e saudável, deve ser esta forma. Antigamente é que era preciso fazer restrições de dieta, acompanhamento para tirar sangue, mas hoje em dia e muito mais fácil. É só um comprimido. E que, dependendo de cada caso, é prescrito de três meses a um ano. É muito raro precisar de cirurgia. Só se fosse uma trombose alta.


Extra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *